<< current
   
 
   
 
  Euhein
A Teus pes
Amarar
Alexander Soares Silva
Blowg
Bia!
Bordeaux!
Boneca
Aurea
Cora
Colega!
Catarro verde!
carbonmonoxide>
Classe média!
Cris
CrisdeLuca
Cesar
Drispaca
Dedo de moça
Duas Fridas
Uma Dama nao comenta
Estacao Virtual
Escarlates
Fazendo gênero
Doa a quem doer
Faker Fakir
Espirito de Porco
Foto do dia
Pipa
Duas Fridas
Drops da fal
Digestivo cultural
Fotolog da Patty
Fotolog da Angela
Ilustra!
Full giu!
Kaleidoscópio
Luisa
Funny
Bloggi
LBF
Mothern
MalGardee
Maldita Juliana
mais eu, mais juju, mais patty
Mau humor
MIIII & LUUUUU
Marcio
mais canela!!!
Muitas de mim
Pura Goiaba!
mundo perfeito
Nervocalm
no mínimo
Praia
Romaaaaaaaa!!!!!
Reorganizer
salón
subirbia
Tempo Imaginario
Vita Brevis
Uh Baby!
o relicário
Roma e Amigos
Um Belo Dia Resolvi Mudar
arte bhz
talepatty
Torpor
marquinhos
Tattoos
Vertigem
Zel
walkwoman
   
 
  Cow Parade

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

blogger


   

segunda-feira, janeiro 31, 2005

sabe ato falho bilíngüe?
você recebe uma proposta meio assim e você responde sin. Pois é, ao invés de sim. Quer dizer, é meio um sin, pq vc respondeu sim, sacou?
:)


::Ângela F.::





A pessoa me fala, discordando de mim. Eu acho que não pareco minha idade. E eu defendendo que acho que pareco sim, e que não há problema algum nisso.
E rebate de volta: eu me imaginava aos 34 muito diferente do que sou.
Bem, penso eu, mas não falo, imaginava quando? Quando eu tinha 5 anos, nem sabia que se chegava aos 34. Aos 15, eu teria eternamente 15 anos. Comecei a me imaginar com 34 quando tinha 33. E deveria pensar em algo muito diferente do que sou?

::Ângela F.::




quinta-feira, janeiro 27, 2005

.Não deixem de visitar

http://www.gavea.blogspot.com/

::Ângela F.::




Tá, tá, não é só zoação, tem debate sério, tem gente boa, resoluções importantes e com consequências, mas não adianta.
Quando vc envelhece (não estou falando de cabelos brancos), vc vê as fotos do FSM e só pensa nos congressos da UNE que vc freqüentou há quase 20 anos atrás.
Então, bora lá: fora daqui com o éfeemií!

::Ângela F., que não acredita mais que o povo unido jamais será vencido::





quarta-feira, janeiro 26, 2005

Despedida
Estão abertas inscrições para o coraçãozinho duma moça mineira.
O concurso será pra junho quando todos os machucadinhos estarão com casquinha, quase bons...
Se você quiser eu empresto meu mertiolate (sic*), foi mal, mil desculpas, pode ter certeza.

:patty:




Eu odeio guarda chuva, mais do que odeio a chuva em si.
Parece coisa de mulé nervosa com a chapinha, uma chateação... mas os meus altos graus
de miopia nao me permitem andar sem. E lá estou eu com as sombrinhas (quando começaram a ser chamados assim os guarda chuvas, santo deus do português?) de cinco roial pra baixo e pra cima pros óculos não ficarem molhadinhos.

::Ângela F.::




segunda-feira, janeiro 24, 2005

Quinta dia 27 tem abertura da exposição "Para quem não entende o glamour" by Patrícia Caetano no Café com Letras lá pelas sete da noite. Quero todas as preparadas, popozudas e glamourosas lá!!
Ah, e vai rolar um sonzinho bão também.
Uhuu!
Patty::




Quando um freqüentador assíduo de Caras está mesa ao lado, usando roupas dois números abaixo do que deveria usar fica te dando mole, é sinal que vc tem que pensar seriamente em se repaginar.

update: a paquera não foi correspondida. eu estava (bem) acompanhada.

::Ângela F.::




Por que o vinho caro do Gero e o arroz de acafrão não caiu tão bem como cairia o caruru com cerveja?

::Ângela F.::




Sou a pessoa mais escorregadinha do planeta.

escorregadinha é escorregadia em andrezês

::Ângela F.::




sábado, janeiro 22, 2005

Muitas perdas, muitos ganhos.
Tem hora que tem que ser...

::Patrícia::




quarta-feira, janeiro 19, 2005

meu pai sempre me dizia, meu filho, tome cuidado.

::Ângela F.::




Desilusão, desilusão, dança eu, dança você na dança da solidão.

::Ângela F.::




terça-feira, janeiro 18, 2005

Resolvi reeditar este post de 2003, já que nesta época do ano o Rio costuma receber muitos interioranos:

. Nunca passem blondor ou água oxigenada nas pernas e bracos libaneses na frente das outras pessoas
. Não permitam que as crias joguem areia nos outros banhistas
. Evitem pular ondinha de mãozinha dada
. Não tentem ler jornais, a não ser que queiram sofrer com folhas voando em todas as direções
. Não levem nenhum tipo de alimento.
. Não caiam na besteira de andar sem chinelo e ter que ficar pulando como personagem de cartoon nas areias escaldantes

. Evitem o consumo excessivo de álcool, para não correr o risco de:

. perder as crianças, e sair chorando pela areia atras das crias
. ter que ser salva pelo surfista mais próximo, mesmo na beiradinha do mar
. achar que "zuzo bens acender unzin" e parar na delega, ou tendo que pagar uma belíssima grana ao meganha mais próximo
. dormir na areia e acordar um camarão
. considerar a hipótese de um top less
. perder as chaves, o talão de cheques, o cartão do banco (pq vcs levam tanta coisa pra praia?)
. pior que perder, é ficar checando toda a hora a bolsa, pra ver se tá tudo lá
. se atolar com a cadeira de praia e ficar presa, pagando o mico mór da praiosa
. perder as lentes de contato, e não enxergar a própria barraca.

Updates:

. Não usamos mais cangas. E nem apitos na praia. Nunca passamos batom.
. Não usamos biquinis enfiados no rabo. Nem se formos gostosas pra caralho.
. Não se toma limão na praia. Só se vc gostar de parecer ter vitiligo.
. Usamos filtro solar e óculos escuros.
. Fumar na praia é o fim. E levar cachorro é pior ainda. Urgh.
. Frescobol jogado com espírito de comperição é coisa de pit boy. Feio, feio, feio.
. Brincos? Pelamordedeus, tirem antes de ir para a praia. Se vc usar perfume, não chegue perto de ninguém.
. Não levamos mais barracas e cadeiras. Alugamos lá mesmo. E não precisamos atolar o carro nem o bar onde vamos beber depois com aqueles trambolhos.

.Arrastão? Tiroteio? Mantenha a calma. Não grite. Não empurre ninguém. Se joga na areia e fica na sua. Daí a pouco passa. Se vc quiser praia sem emoção, vá para o litoral paulista.


::Ângela F.::







.Should I stay or should I go? Taí a maior dúvida da humanidade de todos os tempos.

.I´m lost in the supermarket. I´m always lost in the supermarket. And London is calling. Impressionante. The Clash de repente conta a história da minha vida.

.O senhor sentado ao meu lado no metrô lê feliz a revistinha da Mônica. Eu leio um livro chato, e invejo a historinha do Louco com a qual ele se diverte. Lembro de quando estudava na UFF, há 17 anos atrás - argh - e ia na barca lendo tudo que estivesse pela frente. Um dia, sem nada para ler, esticava os olhos no jornal do sujeito ao meu lado. Ele me oferece quer um pedaço do jornal? Claro que aceitei.

.Eu leio a Trip há muito tempo. Assinei aquilo no início dos anos 90. Também gostava da TPM, inclusive responsável pela minha leitura do mothern, mas cansei. Acho que passei da idade. Decididamente sou uma pessoa década de 80.

.Meus sonhos têm acabado com o meu sono.

::Ângela F.::







segunda-feira, janeiro 17, 2005

Deu no NYT a epidemia de obesidade brasileira. Olha, eu não sei com o que fico mais entediada. Com a falta de assunto do Larry Rother ou com a nossa propria falta de assunto na mídia. Por que diabos ficamos tão indignados por ver na imprensa mundial que a brasileira média não é a Gisele Bundchen?! Oh, que novidade.

::Ângela F.::




domingo, janeiro 16, 2005

Franguim gostosim aqui da terrinha. Comi hoje, limpei os ossos e lambi os beiço. UI!



Frango ao molho pardo

Ingredientes:
1 xícara (café) de óleo
1 kg de frango marinado por 3 horas com sal, pimenta-do-reino a gosto e 6 dentes de alho amassados (reservar o sangue do frango em uma vasilha misturada a 1/2 xícara (café) de vinagre)
2 tomates sem pele cortados em cubos
1 cebola cortada em cubos
2 colheres (sopa) de salsa picada
2 colheres (sopa) de cebolinha picada
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto

Prepare

Numa panela aqueça o óleo.
Coloque o frango temperado e refogue até dourar
Abaixe o fogo e acrescente o tomate, a cebola, a salsa, a cebolinha, tempere com sal e pimenta e refogue por cerca de 5 minutos
Misture o sangue do frango (reservado com vinagre) e cozinhe por aproximadamente mais 30 minutos
Sugestão: sirva acompanhado de arroz branco e couve refogada

Dica Patoca: comer sem frescuragem, por favooor

::Patoca::




Primeiras delícias de 2005
* "Voltar" com novas propostas, beijos, carinho e pratos limpos.
* Ganhar flores lindas (sou mulherzinha sim com orgulho)
* Enxergar os próprios erros numa boa.
* Escutar cada vez mais palavras vindas da boquinha rosa do meu filho.
* Vê-lo andar de bicicleta com a maior desenvoltura.
* Sorvete da Kibon ( óbvio, óbvio, óbviooo!!)
* Sorrir de novo, passar um dia inteiro sem pensamentos melancólicos, sem tristeza
e desesperança, a maior vitória de todas!!
* Chorar muito. Mas agora de alegria.
* Last nite do Strokes na veia, rodando sem parar, pulando sem parar.
* Que meu ano continue assim. Acho que vivi e queimei tudo de ruim em 2004.

::Patty, voltando até a postar::




sexta-feira, janeiro 14, 2005

Lendo Pirataz, catei!!
"Julgado pela maior parte dos seus efeitos, o amor se assemelha mais ao ódio
que à amizade".
La Rochefoucauld [1613-1680], escritor francês.

Toc toc !!
Ver uma mulher tão bonita como a Ivete Sangalo colocar a sua voz ídem a serviço dessas
tolices para causar crises epiléticas coletivas. Vi-a, outro dia, cantando um daqueles sambas
de ponto (porque misturados a batidas do candomblé) que consagraram a boa Clara Nunes, e
saquei o quanto de seu talento nos é privado. É de doer imaginar como ficariam bons em sua
voz forte, bem modulada e insinuante na medida os sambas de roda de um seu conterrâneo,
Riachão, de quem a saudosa Cássia Eller nos fez a gentileza de gravar Vá Morar Com o Diabo;


Falou e disse!!

:patty::




Pessoas criativas

Dividem-se em: as incrivelmente agitadas
Diretores de cinema e teatro, as béshas féshions pitizentas e os
publicitários, por exemplo.

Os contemplativos e sonhadores de carteirinha
Todos oriundos da Bahia, os artesãos pseudo-hippies de durepóxi, os que fazem terapias alternativas e...
EU, claaaro!! : P

::Patty que nasceu pra difundir a idéia de que a pressa é inimiga da perfeição::





Não consigo tirar o filme da minha mente desde que vi...e a trilha sonora também.

::Patty::




Redação que a fessora mandou fazer sobre as lembranças do verão
A ardósia...
Ardósia é uma pedra muito fêa que as pessoas insistem em colocar na porta de seus prédios pra gente andar que nem pato morrendo de mêdo de cair após as tempestades, faxinas e tsunâmis. E é fêa á beça. Na maioria das vezes é verde embaçado, ás vezes tem cor de burro fugido. Aquela dona lá do meu bairro disse uma vez, toda pimpona: "juntei meus trocadim o ano inteiro e agora finalemte mandei colocar ardóoosia no meu puxadim. Tá um brio só, uma belezura, vai lá ver!!"
: P
Se o inferno existe ele deve ser coberto todinho assim, todinho, e o demo fica lá com uma mangueira jogando água naquele verdume, jogando os miseráveis aos montes em cima daquilo, devidamente calçados com sandálias de base lisa e lustrosa.
Agora entra aquela oração que é bem do meu feitio:
Deus salve o chão cimentado, o granito que pelo menos tem sua graça e até mesmo o chão puro de terra. Amém & saravá!!

::Patty::




> como saber que aquela pessoa não é para você?
Ela liga 8 vezes. Deixa 4 recados. A pessoa deveria se comportar dignamente e sumir ao primeiro recado não retornado, não é?

> tava eu no terraço do VR, traçando meu sanduba. Um lindo e saudável Aedes pousado no meu braço direito. Tá inchadinho no lugar. Meus olhos estão ardendo. Prazer, a primeira vítima da dengue do ano se apresenta.

> mais toc. Eu não posso ver copos e cinzeiros sujos em festinhas. saio arrumando tudo, né, meninas?


::Ângela F.::




quinta-feira, janeiro 13, 2005

O querido recém conhecido pergunta: vc tem toc?
Eu? Não, nunca tive.

Me pego desenrolando o fio do telefone pela vigésima vez no dia. Todo dia. Vou lavar os óculos pela quinta vez. Todo dia. Olho a minha volta. A água está no porta copos, o único da ong inteira. O copo de café idem. As planilhas estão organizadas. As tarefas da agenda ticadas. As tarefas do dia seguinte já escritas. A mochila do menino arrumada, a lista de material já foi encomendada.

Repensei. Eu e o Rei. Que merda.

::Ângela F.::





Há quanto eu leio a Pipa? E cada dia gosto mais.

casulinho.blogspot.com


::Ângela F.::




quarta-feira, janeiro 12, 2005

Aliás, outro dia tava numa festa de arromba, calor dos diabos, uma amiga de rímel e lápis no olho vira-se pra mim e pergunta: Ângela, eu já virei panda?
Eu: hã?
Ela: é, quando borra tudo a gente fica parecendo um pandinha, né?

::Ângela F.::




terça-feira, janeiro 11, 2005

.Vontades loucas e urgentes. Atravesso a rua. Como o chocolate comprado na banquinha. Como mais um. E mais um. De repente, calma. E logo no mesmo frame, culpa. Por que a gente é assim?

.Outro dia vi Jornal Nacional. É algo raro na minha vida, por isso merece registro. Mas o post é outro. Aquela mocinha do tempo. Por que colocam aquelas roupas tão apertadas? Coitada. Quando ela apontou Manaus, fiquei tensa. Ih, vai estourar o terninho.

.Neste 2005, li o dia que getúlio matou allende, um do Skinner, uma parada de teoria econômica, e resolvi perder o preconceito e comecei o Código da Vinci. Tá, me lembra quando lia policiais na pre-adolescência. Ou, seja, tô adorando. Pronto. Confessei.

.O sono nas noites de janeiro, embaladas pelo vrum do ar refrigerados num é mais gostoso?

.Eu achava que lia muito. O moço com quem papeio lê a Tribuna da Imprensa. Recolho-me. Boto o galho dentro (opa).

::Ângela F.::




Sonhos. O meu filho arrumando um trem de um trilho só. Os pés de um querido no meu pescoço. um suicidio. uma fila de coca colas.

::Ângela F.::




segunda-feira, janeiro 10, 2005

Como diz a Flá, eu adoro falar de comida. E recomendo o iogurte com frutas vermelhas do McDonald´s. Ui, uma valdelicia.

::Ângela F.::




Quando vc olha para cima, e vê que o dia nasce em cores alaranjadas, e vc ainda está de papo na festa, vc percebe que foi um sábado sensacional.

::Ângela F.::




sexta-feira, janeiro 07, 2005

Tenho até medo de comecar um tópico interminável, mas vá lá.
Sei q existem nomes estranhos, conheci um Onaicram, q é marciano ao
contrário (filho de hippie sofre), Simplicio, Retlaw (Walter ao
contrario, que trabalhou anos comigo no Globo), e assim vai...
Bem, vcs sabem q eu to numa ong coordenando um projeto do BID voltado
a geracao de trabalho para jovens carentes. Aparece um monte de nome complicadérrimo.
Mas hj dei de cara que atesta a completa falta de nocao da mãe:

Valdelícia. DELÍCIA, vcs tem noção? ValDELÍCIA?!!!

::Ângela F.::




Vão ver The Dreamers e entender pq Paris é uma festa.

A cena dos jovens na banheira falando sobre o crime de ser cineasta, brincando com a espuma, com um busto do Lênin na prateleira é a melhor coisa que vi no cinema este ano. Tá, foi o meu primeiro filme do ano.

::Ângela F.::




quinta-feira, janeiro 06, 2005

http://www.fotolog.net/colunasocial
Nós não somos lindas?

::Ângela F., sem conseguir parar de fazer chifrinho::




O Rio é tudo e o paraíso é aqui!!

ão ão ão!! é pura diversão!!!

assim que cheguei na cidade fui comer uma "pitz" com minhas charmosas amigaisch cariocaish e quem é que tava na mesa ao lado???? Rodrigo Santooooourooooooo!! Ai, precisa dizer mais alguma cosita?? Pena que não deu pra fazer aquele número básico...aquele, cês sabem, pra matar todo mundo de bregonha.

depois eu vi Ruddy a cabeleireira trava dos famosos. Gritei que era sua fã e ela estendeu aquelas mãos de unhas loooongas..emocionada.

fomos eu, Greg e Camilan na porta do Ed. Chopin. Imploramos para entrar na festa de Bruno Chateaubriand e André Ramos. O segurança perguntou se eu sou maluca. Eu respondi que não. Eu apenas sonho.

lá no reveilão do poishto 9 eu cismei que queria fazer amizadi com os pessoar. Cheguei pros pessoar e disse : quero ser amiga de vocês. Eles aceitaram. muito singelo isso...

::patty::




.Sempre que eu passo por aquelas lojinhas ou quiosques fotográficos que contam com a linda plaquetinha "revele aqui seu filme", penso em produzir plaquetas iguais e distribuir nos bares e similares onde se leia "queime aqui seu filme". hohohoho.

.Sono.

.Ontem, a trabalhadora que vos fala teve que resolver um petit problema na prefeitura. Ali, na cidade nova. Tá. Fui, resolvi, desci com a moça de lá, ficamos batendo um papito, quando ela, de ouvido mais treinado que o meu me fala: ih, é tiro, Ângela, vai logo. Eu: tá bom, bj, bj, e fui.
Num é que lá tô eu na maaaaaioooor das tranquilidades indo para o metrô quando saco que realmente estava na linha de tiro? As pessoas a minha volta todas correndo e se abaixando e eu lá, como se estivesse em Paris, a flanar. Bem, na selva, faça como os índios. Apertei meu passo também, até chegar na salvadora estação do Metrô, onde várias pessoas estavam abrigadas, entre apavoradas e conformadas. Fiquei triste com a cena. Cheguei em casa e abracei meu filho com medo.

::Ângela F.::




quarta-feira, janeiro 05, 2005

Duas mega espinhas. Uma no nariz e uma na bochecha. Festão no sábado. O que fazer?

::Ângela F.::




Mas passa.

::Ângela F.::




Estou arrasada.

::Ângela F.::




terça-feira, janeiro 04, 2005

A propósito, entre o dia 31 de dezembro e o dia primeiro de janeiro passei a noite em Copacabana, como convém, num apê de rico, na marechal mascarenhas de moraes, que é uma rua que sooobe, sooobe, sooobe, que tem uns prédios sensacionais que dão vista pra Lagoa e Copa, um escândalo, tudo ali deve ser ladrão, né possível, mas enfim, a vista era linda mesmo, e fiquei acima, muuuito acima da tal fumaça, e meu filho, maravilhado disse "já vi fogos, mas nunca tão bonitos", e eu fiquei mooooito orgulhosa do português bonitinho da criança. Teve muito prosecco, muita champagne, muita comida, muito beijo, muita alegria, muito riso, e fomos pra mais festa, e é muito duro, mas muito mesmo ir dormir às 6 e acordar cedo no dia seguinte, pq a criança desmaia em um quarto e tu fica comemorando sei lá o que na sala. Táqueopariu.

::Ângela F.::






A prova da minha teoria. Tava eu lendo o jornal Valor Econômico (quando Caetano pergunta quem lê tanta notícia, eu tenho vontade de me apresentar), quando leio uma matéria enooorme sobre a tragédia na Ásia: Nunca tantas criancas suecas morreram em um dia só. Hein? Crianças suecas?!

::Ângela F.::




segunda-feira, janeiro 03, 2005

Tráfico de órfãos depois da tsunami? Porra, que beleza é o ser humano. Melhor que isso só os brancos tomando sol na praia do sri lanka com corpos em volta e os locais de máscara arrumando a bagunça.
Ah, os brancos de férias... aqui comendo as meninas de 12 anos, e lá os caras nem se levantam.
Vc sabem aliás, que é só por causa deles que estamos vendo esta tragédia em 360 graus, né? Ah, se só tivesse morrido moreno. Defendo minha teoria na banca que vcs quiserem. Veja na África. A merda foi gigantesca também, mas como num morreu um suequinho sequer, um branquinho, nenhum olho azul ficou ferido, ninguém dá a mínima.

O mundo lamenta é a perda de resorts.

::Ângela F. acreditando que o Brasil fará suas próximas campanhas no exterior com o mote "não estamos em cima de nenhuma encontro de placas tectônicas. E temos crianças de 12 anos também!"::




Ontem, na praia, André, sob meu olhar incrédulo, fazia um arremedo de despacho com flores de reais despachos na praia de copacabana.
Um amigo meu que estava na praia me dizia: isso eh a falta de educacao
religiosa sua. (ele acha que eu devo educa-lo no catolicismo).
E tenho certeza que vários de meus fiéis leitores (com trocadilho) devem estar chocaaados com o negocio da crianca poder mexer na macumba. Bem, os lixeiros podem, né?

::Ângela F., era o que me faltava::






E Bruneco da Patty chamando o meu André de meu amiguinho na Ronald de Carvalho?!?!?!
Sensacional.

::Ângela F., prometendo nunca mais usar a palavra fofo, que já encheu::




Dinheirinho bem gasto eh o que gastei na compra do creminho e tonico Vichi para pele oleosa e shampoo vitamino color da L´oreal.

::Ângela F., mais pobre, mas bem ajeitadinha::





Feliz 2005.

Muito daquilo que vcs gostam.

::Ângela F.::